1

O Lado Sombrio dos Contos de Fadas

 

“Um dos elementos desnorteantes do folclore é a contemporaneidade dos milênios. A possibilidade de existir, atual e visível num presente, algo que conta milhares e milhares de anos. ” CASCUDO, Câmara (1898 – 1986)

1

Este incrível livro sobre contos de fadas, diferente da Disney e suas versões doces e encantadoras; estragará a infância de muitos – claro que de uma forma deliciosa para quem tem interesse em conhecer o lado “oculto” de tudo aquilo que crescemos ouvindo de maneira diferente da original. O que para nós, aos 5 – 10 anos era somente uma historieta moralista de uma menina que desobedece a mãe desviando o caminho e acaba sendo devorada por um lobo mau, mas é salva por um caçador que surge do além… ou de João e Maria e seu final triunfante, de Cinderela, Rapunzel, Bela Adormecida e Branca de Neve e seus “Viveram felizes para sempre”, talvez seja difícil acreditar que por trás de toda trama exista canibalismo, estupro, fornicação, torturas, sexo, finais sanguinários e incesto.

3

É interessante frisar que toda história, seja ela qual for sempre terá seu lado ruim, até porque esta é a lei da vida, e no mundo em que vivemos não existe perfeição, e isso no caso, contradiz o mundo dos contos de fadas, entretanto como poderiam existir os contos de fadas? Realmente existiram? Seriam uma lenda? Eis aí algumas das perguntas que com toda certeza alguém poderia ter feito a si mesmo e, é nessa parte que este livro se encaixa. Com riqueza de informação, todas elas com referências e base em estudos, a autora Karin Hueck nos leva para o fim da Idade Média (ou conhecida como a Baixa Idade Média) no século XI a meados do século XV uma fase em que a civilização medieval chegou ao seu ápice, mas também em declínio, foi um tempo onde os europeus viveram boa parte do seu tempo no campo. A sociedade era rigorosamente hierarquizada e marcada pela fé em Deus e o controle da Igreja Católica (alguns estudiosos por meio da observação concluíram que os estudos dos fenômenos naturais e das relações sociais teria sido substituído pelo misticismo religioso). Sem Internet e por consequência sem Netflix, Whatsapp ou Twitter, o passatempo dos camponeses, tanto homens quanto mulheres, era contar histórias entre si – alguma delas de cunho moral paras as crianças, especialmente do sexo feminino -, seja no campo, seja na frente de uma lareira após o jantar, seja em qualquer lugar, eles contavam histórias como uma forma de se distrair, ainda hoje isso existe, porém são assuntos diferentes e nem sempre são contos de fadas, hoje conhecemos como fofocas haha.

2

 

 

Ainda no cenário Idade Média, é possível descobrir que essa sociedade antiga tinha atitudes antropofágicas por causa da medicina local, eles acreditavam que com o sangue humano poderiam curar a epilepsia, não para por aí, trechos do livro revelam coisas bem bizarras acerca disso como macerar as vísceras humanas para fins medicinais, além de existir relatos do consumo da carne humana e nem estou falando da sociedade primitiva, ter condições para comprar alimentos não era para todos – quem lembra da Peste Negra?- , isso a gente entende melhor se prestar atenção nas aulas de histórias ou se pesquisar. Diante de tudo isso é fácil perceber que esse livro não se compara a muitas das revistinhas ou matérias que falam sobre o lado oculto dos contos de fadas, claro que não é bom se desfazer das outras coisas, tudo que traz conhecimento é útil, entretanto é muito mais agradável e apetitoso ler algo que te leva pra um passado distante, com base em referências e estudo aprofundado, detalhes e curiosidades daquela época, afinal quem nunca cresceu ouvindo se quer três historinhas no mínimo sobre princesas, duas crianças perdidas ou a clássica chapeuzinho vermelho, e deixou a mente viajar nas palavras para uma terra distante e encantada, e depois de adquirir certo conhecimento da realidade não tenha se perguntado qual a origem dos contos de fadas ou ter a curiosidade de saber quais foram suas primeiras versões, s, existiram outras versões. Creio que não são todos que se perguntam ou tem ideia de que por trás de todos os contos de fadas existe seu lado macabro, sua versão sangrenta e assustadora, após a leitura do livro e de algumas revelações – como o canibalismo – com certeza vai ficar de boca aberta e até fazer ligação do passado e o presente, assim como eu fiz.

“Nos contos de fadas que ouvi durante a infância há significados mais profundos do que nas verdades que a vida me ensinou. “ (SCHILLER, Friedrich. 1759 – 1805).

 

 

SOBRE A AUTORA

 

Karin H12144835_10206997238142769_2746674940645163564_n (1)ueck, Paulistana, que lançou “O Lado Sombrio Dos Contos De Fadas, em 2016”  é Escritora e Editora da Super Interessante, finalista do prêmio ESSO e ativista feminista, ela se mudou para Alemanha para coletar as histórias desse livro e criar o Glück Project: Uma investigação sobre a felicidade, é autora dos livros Guten Appetit (Editora Melhoramentos) e Felicidade tem cor (Editora Matrix)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Resenha: Christielly Ferreira

Encontrem a Chris em outras plataformas cibernéticas

INSTAGRAM: https://www.instagram.com/cbuko_

TWITTER: https://twitter.com/_Cbuko



Redação Diplomacia Nerd

Um seleto grupo de nerds, protótipos de escritores, munidos de café ☕ e com uma mochila repleta de livros e quadrinhos 📚


Comentários




Pin It on Pinterest

COMPARTILHAR